terça-feira, 10 de outubro de 2017

Rendimento e Condições de Vida PT-UE

1. Consultando a Infografia do EuroStat constrói no Paint uma imagem comparando Portugal com o país A.

R: 

2. Consultando o destaque do INE Rendimento e Condições de Vida (Backup), comente a taxa de risco de pobreza:
a) por grupo etário de 2003 a 2013 (pp. 2);

R: As pessoas com 65 anos ou + são o grupo etário com menor % de pobreza, com
 15,1%, por causa da reforma, as pessoas com idades entre 18-64 anos, são os adultos, têm um nível de pobreza de 19,1% por causa dos filhos, e as pessoas com idades dos 0-17 anos de idade, as crianças, são o grupo mais afectado, com uma percentagem de 25,6%.

b) segundo a composição do agregado familiar (pp. 2);

R: Segundo o agregado familiar, quando é um adulto sem criança, tem uma taxa de 23,1%, quando é 2 adultos ambos c/ menos de 65 anos, sem crianças, a taxa é de 17,4%, quando é 2 adultos, pelo menos 1 c/ 65 + anos, sem crianças, a taxa é de 13,1%, ou seja o total da taxa de pobreza total sem crianças dependentes é 15,8. Quando é com filhos, 1 adulto c/ pelo menos 1 criança, a taxa é de 38,4%, 2 adultos com 1 criança, a taxa de pobreza é de 15,4%, 2 adultos com 2 crianças,18,0%, 2 adultos com 3 + crianças, 38,4% e Outros agregados, com crianças é 28,8%

c) referindo a importância das transferências sociais (pp. 3).

R:A taxa de pobreza antes de qualquer transferências sociais aumentou de  41,3% para 47,8%, após transferências relativas a pensões, aumentou de 26,5% para 26,7%, e após transferências sociais diminui de 20,4% para 19,5%.

3. No mesmo documento (pp. 4) observe a tabela Indicadores de privação material. Justifique a relação entre a Taxa de privação material e a Taxa de privação material severa.

R: Para uma pessoa ter uma taxa de privação material, precisa de ter 3 problemas dos nove problemas, a) Sem capacidade para assegurar o pagamento imediato de uma despesa inesperada próxima do valor mensal da linha de pobreza (sem recorrer a empréstimo); b) Sem capacidade para pagar uma semana de férias, por ano, fora de casa, suportando a despesa de alojamento e viagem para todos os membros do agregado; c) Atraso, motivado por dificuldades económicas, em algum dos pagamentos regulares relativos a rendas, prestações de crédito ou despesas correntes da residência principal, ou outras despesas não relacionadas com a residência principal; d) Sem capacidade financeira para ter uma refeição de carne ou de peixe (ou equivalente vegetariano), pelo menos de 2 em 2 dias; e) Sem capacidade financeira para manter a casa adequadamente aquecida; f) Sem disponibilidade de máquina de lavar roupa por dificuldades económicas; g) Sem disponibilidade de televisão a cores por dificuldades económicas; h) Sem disponibilidade de telefone fixo ou telemóvel, por dificuldades económicas; i) Sem disponibilidade de automóvel (ligeiro de passageiros ou misto) por dificuldades económicas, e para ter uma privação material severa é quando se tem 4 dos problemas nomeados a cima. No gráfico da pp.4, a taxa de privação material aumentou percentual-mente desde 2011,29,9%, até 2014, 25,7%, e em relação à taxa de privação severa, aumentou percentual-mente desde 2011, 8,3%, até 2014, 10,6%.

4. Utilizando a Taxa de privação material severa (no PORDATA) para 2010 e 2016, constrói no Excel e comenta e um gráfico com os 5 países indicados. 

R:

Sem comentários:

Enviar um comentário