domingo, 22 de outubro de 2017

Preparação para o 1º teste

https://docs.google.com/presentation/d/1oJwqLsd_z5M4KwoD037qYyRKLLCH4vQp0IQlMIs8Igc/edit?usp=sharing

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Consumismo e consumerismo

1. Distingue consumismo de consumerismo.
R: Consumismo pode ser um acto de impulso, ou seja, consumimos sem ter conta e muitas vezes sem saber o que compramos e para que serve e nem sequer utilizamos o que compramos e consumerismo é um acto de consumo racional que a pessoa tem consciência do que compra e muitas das vezes pedem ajuda a amigos(as) ou ao pais.

2. Justifica a importância de uma atitude consumerista.
R: A importância de uma  atitude consumerista é que temos a consciência do que estamos a consumir, nunca consumimos nada por impulso e sim porque queremos ou porque necessitamos.

3. Relaciona o consumerismo com a necessidade de preservar os recursos naturais e os equilíbrios ecológicos.
R: Um consumerista, tem a noção de onde gasta o dinheiro, ou seja, recicla, reduz e reutiliza. Por exemplo em casa, um consumerista não anda com as luzes acesas desnecessariamente, não gasta água desnecessariamente porque ele tem a noção que no fim do mês iria gastar dinheiro desnecessariamente.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Consumerismo

1. Consultando o link completa dois dos tópicos "Não é fácil, ser consumidor!" (p. 7) 
R: Sobre a publicidade e marketing,  as pessoas quando vêm um anúncio / publicidade têm a tendencial de ir adquirir o produto usado nessa tal publicidade, porque como existem diversas publicidades/anúncios, fica complicado de escolher entre qual deles devemos optar. E sobre as diferentes marcas, nem sempre é fácil sobre qual delas optar, por exemplo, ao escolher um telemóvel, as pessoas muitas vezes têm dificuldades de escolher entre o IPhone e o Samsung.

2. A DECO concebeu a apresentação que tens estado a ler para promover a Educação do Consumidor e práticas consumeristas.
Refere dois objectivos da Educação do Consumidor. (p. 15) 
R: O objectivo principal da Educação do consumidor, é promover o desenvolvimento da mentalidade das dos adolescentes, para terem mais cautela quando pensam em comprar algo, e intervir socialmente nos habituados de consumerista. O objectivo especifico da Educação do Consumidor, é multiplicar e qualificar as intervenções do consumidor paras o ajudar a ver o que é mais necessário e onde deve gastar, ou seja, reforçar as condições do que deve comprar.

3. “Até à data, e no geral, o homem actuou no seu ambiente como um parasita, tomando o que deseja com pouca atenção pela saúde do seu hospedeiro, isto é, do sistema de sustentação da sua vida.” Hutchison (2000), citado em Consumo e Ambiente
Distingue o caminho Tecnozóico do Ecozóico, e refere a importância das tecnologias limpas para salvar o Planeta da degradação do ambiente e das alterações climáticas.
R: O caminho Tecnozóico é as pessoas pensarem que a tecnologia consegue resolver tudo o que necessitamos e o caminho Ecozóico é as pessoas pensarem que as tecnologias não resolver tudo. As Tecnologias limpas, são as tecnologias que não poluem  o ambiente, ou seja, as tecnologias que foram desenvolvidas para não poluir o ambiente, por exemplo, o carro eléctrico, vou construindo para acabar com a poluição e para substituir o carro normal que só polui-a o ambiente.

4. Verifica que o consumo insustentável referido na questão anterior é explicado não só pela Economia, mas também pela Psicologia ou pela Sociologia entre outras. 
R: Afecta a economia porque gastam dinheiro em coisas desnecessárias apenas, por exemplo, para se integrarem num tal grupo social, ou seja, também afecta a sociologia mas também afecta a psicologia porque só com a psicologia é que se consegue perceber o porquê das pessoas terem a Oniomania.

5. Refere como o consumismo é responsável pela exclusão do acesso de grande parte da população aos bens de consumo.
R: O consumismo é responsável pela exclusão do acesso de grande parte da população porque, por exemplo, quando se tem um filho consumista, acaba-se por consumir coisas úteis e coisas inúteis o que mais tarde vai poder intervir no rendimento dos pais que mais tarde podem querer comprar qualquer coisa e não conseguem porque gastaram o dinheiro em coisas inúteis para os filhos.

6. Comenta dois direitos do consumidor que te pareçam frequentemente obstruídos. 
R:  O direito a separação rápida e a protecção justiça e justiça acessível nem sempre somos rapidamente atendidos como esperamos e do que deviam.

7. Será que frequentemente os jovens transmitem às suas famílias comportamentos de consumo mais consistentes com os seus deveres enquanto consumidores? Justifica. 
R: Sim porque os filhos hoje em dia transmitem aos pais comportamentos correctos de consumidor como por exemplo, os pais nem sempre sabem que deviam fazer a reciclagem ou que ás vezes os filhos é que avisam os pais que no fim do mês a conta da água, da electricidade e da luz terão um custo maior.

8. Indica os quatro erres do Rap do Eco Consumidor
R: Reduzir
     Reutilizar
     Reciclar
     Repensar

9. Do teu ponto de vista o que é mais importante para consumir responsavelmente?
A - Conhecer a Lei do Consumidor
B - Ter valores compatíveis com um consumo responsável
Justifica.
R: No nosso ponto de vista, ter valores compatíveis com um consumo responsável é o mais importante para ser um consumidor responsável, primeiro porque ao ter os valores, cumprimos os direitos da Lei do Consumidor e se só conhecermos as Leis do Consumidor, nós até os podemos conhecer mas podemos não as  respeitar por isso não faria diferença.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Oniomania – Doença que atinge 1% da população

1. Refere factores que conduzam ao consumo impulsivo.
R: Os adolescentes hoje em dia só pensam em consumir, independentemente dos objecto, as Mulheres, por exemplo, gostam de comprar muita roupa e acessórios que não são necessários, enquanto Homens gastam mais dinheiro em electrodomésticos e roupa em pouca quantidade, mas muito cara por ser de marca. porque sentem que têm um "espaço vazio" e tentam preenche lo com as compras, e depois acabam por comprar mais do que precisavam.
O consumo impulsivo também pode ser causado por distúrbios emocionais.

2. Caracteriza a oniomania.
R:A Oniomania é uma doença causada pela "febre" das compras, as pessoas perdem-se no que querem comprar e acabam sempre por comprar mais do que devem, esta doença é como se fosse o uso de droga, as pessoa não conseguem controlar o gasto que fazem nas compras.

3. Distingue o consumismo da doença (oniomania)?
R: Todos nós somos consumistas, mas as pessoas com a doença não têm a noção onde gastam o dinheiro e só gastam o dinheiro em coisas inúteis ou seja são patológicos e o resto de nós gasta o dinheiro em coisas que necessitamos portanto não são patológicos. Torna-se doença quando as pessoas ultrapassam o nível de consumismo e começam a ter um consumo como um analgésico de um infortúnio. 

4. “Comprar coisas de que não se precisa faz parte do estatuto de ser mulher”. Comenta.
R: As mulheres,na maioria, gastam mais dinheiro em coisas que não são úteis, por exemplo, gastam muito dinheiro em coisas inúteis e muitas das vezes nem chegam a usufruir das coisas que compram, comprar apenas por comprar.
5. “A compulsão não escolhe género, os homens apenas têm outros interesses”. Identifica as áreas de consumo compulsivo segundo o género.
R: As Mulheres gastam a maior parte do seu dinheiro em roupas e produtos de estética, e os Homens gastam mais dinheiro em Electrodomésticos e em vários produtos da tecnologia.

6. Identifica o perfil das pessoas que correm maior risco de se endividarem.
R: Os adolescentes pois não sabem o que necessitam e o que é mais importante para eles.

7. Refere a Internet como facilitadora do consumismo.
R: A Internet é como se fosse uma banca alargada, é uma ferramenta que pode ser usada para o bem e o mal, o mal é que as pessoas que não têm limites para comprar o que querem já nem necessitam de sair de casa para o fazer ou seja, podem comprar o que quiserem sem fazer nada mas tem também os seus lados bons porque tem uma maior diversidade de produtos para a venda e muitos consumeristas aproveitam isso para o bem.

8. Refere a Internet como ferramenta de uma atitude consumerista.
R: A Internet é uma ferramenta boa para um consumerista (consumo racional) porque pode ir à loja já com o intuito de comprar o que procurou na Internet e pode também ser usado para comunicar com os amigos e eles o ajudarem a ver o que é melhor comprar.

9. A propensão ao consumismo depende da educação? Como?
R: A propensão ao consumismo depende da educação que os pais dão aos filhos, porque se os pais derem aos filhos tudo o que eles querem eles nunca irão deixar de pedir mas se, por exemplo, os filhos tiverem uma semana sabem que não podem gastar todo o dinheiro em coisas inúteis porque mais tarde poderão precisar e não têm.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

A Sociedade de Consumo

1. Aponta quatro características da Sociedade de Consumo após responderes a estas questões.

R:As quatro caracteristícas são: 

-O consumo está no nosso o quotidiano.
-Assiste-se a uma gradual uniformização universal dos desejos materiais
-O ciclo da vida dos produtos reduziu-se
-Por ricochete do lazer se transformar em consumo, precisamos de trabalhar mais para dar satisfação a necessidades que se poderão apresentar como libertadoras

2. Faz uma imagem mostrando as diferenças entre os “produtos de ontem” e os “produtos de hoje” a partir daqui.

R:
PRODUTOS DE ONTEM:                                   PRODUTOS DE HOJE:


3. Indica três aspectos que possas mudar, como eco-consumidor preocupado com o futuro do Planeta. 

R: Para melhorar-mos o nosso Planeta, temos muitas e diversas aspectos que devemos mudar, devíamos melhorar a rede de transportes públicos ou andar mais de bicicleta e a pá para reduzir a poluição do ambiente, deveríamos fazer a recolha e a separação de lixo, ou seja, a reciclagem e deveríamos também podíamos, enquanto tomamos duche/banho e enquanto lavamos os dentes desligar a água da torneira, ou seja, não gastamos tanta água.

4. Menciona dois factores explicativos do endividamento das famílias portuguesas.


5. Constrói uma apresentação no Google Drive referente à Sociedade de Consumo, de 7 slides, com a seguinte estrutura: 
1º slide: Título;
Último slide: Bibliografia;
Slides intermédios deverão referir aspectos que consideres interessantes sobre o tema.
Partilha o link para a apresentação no blogue. 

R:https://docs.google.com/presentation/d/1csZOYCbDonvFww4ChaMM6A-XC-1lVQo8QygtNSBPLEY/edit?usp=sharing

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Rendimento e Condições de Vida PT-UE

1. Consultando a Infografia do EuroStat constrói no Paint uma imagem comparando Portugal com o país A.

R: 

2. Consultando o destaque do INE Rendimento e Condições de Vida (Backup), comente a taxa de risco de pobreza:
a) por grupo etário de 2003 a 2013 (pp. 2);

R: As pessoas com 65 anos ou + são o grupo etário com menor % de pobreza, com
 15,1%, por causa da reforma, as pessoas com idades entre 18-64 anos, são os adultos, têm um nível de pobreza de 19,1% por causa dos filhos, e as pessoas com idades dos 0-17 anos de idade, as crianças, são o grupo mais afectado, com uma percentagem de 25,6%.

b) segundo a composição do agregado familiar (pp. 2);

R: Segundo o agregado familiar, quando é um adulto sem criança, tem uma taxa de 23,1%, quando é 2 adultos ambos c/ menos de 65 anos, sem crianças, a taxa é de 17,4%, quando é 2 adultos, pelo menos 1 c/ 65 + anos, sem crianças, a taxa é de 13,1%, ou seja o total da taxa de pobreza total sem crianças dependentes é 15,8. Quando é com filhos, 1 adulto c/ pelo menos 1 criança, a taxa é de 38,4%, 2 adultos com 1 criança, a taxa de pobreza é de 15,4%, 2 adultos com 2 crianças,18,0%, 2 adultos com 3 + crianças, 38,4% e Outros agregados, com crianças é 28,8%

c) referindo a importância das transferências sociais (pp. 3).

R:A taxa de pobreza antes de qualquer transferências sociais aumentou de  41,3% para 47,8%, após transferências relativas a pensões, aumentou de 26,5% para 26,7%, e após transferências sociais diminui de 20,4% para 19,5%.

3. No mesmo documento (pp. 4) observe a tabela Indicadores de privação material. Justifique a relação entre a Taxa de privação material e a Taxa de privação material severa.

R: Para uma pessoa ter uma taxa de privação material, precisa de ter 3 problemas dos nove problemas, a) Sem capacidade para assegurar o pagamento imediato de uma despesa inesperada próxima do valor mensal da linha de pobreza (sem recorrer a empréstimo); b) Sem capacidade para pagar uma semana de férias, por ano, fora de casa, suportando a despesa de alojamento e viagem para todos os membros do agregado; c) Atraso, motivado por dificuldades económicas, em algum dos pagamentos regulares relativos a rendas, prestações de crédito ou despesas correntes da residência principal, ou outras despesas não relacionadas com a residência principal; d) Sem capacidade financeira para ter uma refeição de carne ou de peixe (ou equivalente vegetariano), pelo menos de 2 em 2 dias; e) Sem capacidade financeira para manter a casa adequadamente aquecida; f) Sem disponibilidade de máquina de lavar roupa por dificuldades económicas; g) Sem disponibilidade de televisão a cores por dificuldades económicas; h) Sem disponibilidade de telefone fixo ou telemóvel, por dificuldades económicas; i) Sem disponibilidade de automóvel (ligeiro de passageiros ou misto) por dificuldades económicas, e para ter uma privação material severa é quando se tem 4 dos problemas nomeados a cima. No gráfico da pp.4, a taxa de privação material aumentou percentual-mente desde 2011,29,9%, até 2014, 25,7%, e em relação à taxa de privação severa, aumentou percentual-mente desde 2011, 8,3%, até 2014, 10,6%.

4. Utilizando a Taxa de privação material severa (no PORDATA) para 2010 e 2016, constrói no Excel e comenta e um gráfico com os 5 países indicados. 

R:

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Lei de Engel

1. Calcula o orçamento de cada uma das famílias.
2. Determina os coeficientes orçamentais das quatro famílias para cada classe de despesa.

R:
     



3. Representa graficamente as despesas percentuais das famílias nas diversas rubricas de despesa.










4. Verifica como a interpretação do quadro te conduz à Lei de Engel.

R: Quanto mais ricas são as famílias, mais dinheiro gastam em lazer percentual-mente e menos gastam em alimento percentual-mente e quanto mais pobres são menos dinheiro gastam em lazer percentual-mente e mais em alimento percentual-mente.


5. Comenta o elevado valor das subscrições de telemóveis em Portugal relativamente a outros países.

R: Em Portugal o uso de telemóveis tem uma maior importância por causa da Segurança e por causa também do controlo para sabermos sempre onde, por exemplo, o nosso filho está ou quando queremos contactar com alguém ser mais fácil.

6. Comenta o elevado número de automóveis em Portugal relativamente a outros países da União Europeia.

R: Portugal tem muitos automóveis por pessoa porque é a maneira mais fácil de uma pessoa se deslocar de um lado para o outro sem depender de horários dos transportes públicos mas o que pode implicar num atraso quando a pessoa se tenta deslocar para algum lado porque causa mais trânsito quando se anda com o próprio automóvel, por exemplo, um autocarro pode levar 20 pessoas enquanto um carro só leva 5 pessoas, ou seja, para levar as mesmas pessoas que um autocarro leva precisaríamos de 4 carros.

7.Calcula os coeficientes orçamentais utilizando o Quadro Q.2.9.(€) do Inquérito às Despesas das Famílias, INE. Constrói um quadro mostrando simultaneamente os valores absolutos e os coeficientes orçamentais, para as 12 categorias principais. Preview do Quadro 
Constrói um gráfico representando os coeficientes orçamentais. Comenta, referindo a Lei de Engel.

R:


R: Analisando o gráfico conseguimos perceber que quanto mais rica a família é, mais dinheiro gasta em restaurantes, cafés, Hotéis, ou seja, tudo para o lazer enquanto que as famílias mais pobres gastam mais dinheiro em produtos alimentares e bebidas não alcoólicas, por exemplo famílias com rendimento total inferior a 6300€, gasta 18,3% em alimentação e bebidas não alcoólicas e apenas 5,3% em lazer e 7,3% em hotéis restaurante e cafés, e as famílias com rendimentos superiores a 37800€, gastam 10% em alimentação, 6,8% em lazer e 12,3% em hotéis, restaurantes e cafés. As famílias com rendimento intermédio,entre 18900€ e 25200€, costumam gastar mais dinheiro em alimentação do que as pessoas mais ricas mas mais dinheiro em restaurantes, hotéis e cafés e em lazer, ou seja, é o meio termo das famílias ricas e as famílias pobres.

8. Refere como o consumo varia com os seguintes factores extra-económicos:
a) Estrutura etária dos agregados familiares;
b) Estilos de vida (v.g. fast-food, consumos lights, desportos radicais, consumos com consciência ambiental);
c) Moda;
d) Publicidade;
e) Cultura.

R: As pessoas mais idosas, por exemplo, costumas gastar dinheiro em objectos diferentes dos adultos, compram fraldas e comido própria para eles enquanto os adultos compram fraldas para os filhos, as pessoas ricas estão mais habituadas a usar o fast-food, consumos lights, desportos radicais. A moda é muito usada pelos ricos porque acham que isso é o mais importante enquanto as pessoas com menos dinheiro importam-se mais com a comida e a bebida, as coisas realmente importantes, a publicidade é usada pelos ricos porque assim que vêm uma publicidade de algo que querem eles vão logo atrás disso enquanto os pobres não se importam tanto com isso e a Cultura das pessoas ricas é pensarem primeiro no que querem e depois pensarem no que necessitam, ou seja, eles vêm uma coisa que querem e levam mas não percebem que a outra coisa seria mais útil e necessária para eles.