terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Teoria elementar da procura

1. Distingue volume da procura de quantidade adquirida ou quantidade realmente comprada e vendida.
R: Volume de oferta é a quantidade de um bem que os consumidores desejam comprar e quantidade adquirida ou quantidade comprada e vendida são as compras reais.
2. “O volume da procura é um fluxo”. Explicita o significado desta afirmação.
R: Não nos ocupamos com compras isoladas mas sim um fluxo de compras
3. Indica as variáveis de que depende o volume da procura, explicitadas por Lipsey na função da procura. 
R: As variáveis são o rendimento familiar, os gostos familiares e todas as outras variáveis como a moda, a tradição a cultura, entre outras
4. Explica por que razão o volume da procura varia inversamente com o preço do bem.
R: Porque quanto mais caro for o bem, menos procura esse bem terá.
5. Explica como se chega à curva da procura a partir da função procura.
R: Chega-se porque quando o preço do bem baixa ou aumenta, a procura aumenta ou diminui.
6. Interpreta a inclinação descendente da curva da procura.
R: A inclinação decrescente da procura deve-se ao facto de haver menos procura pelos bens.
7. Descreve o efeito ilustrado na curva da procura agregada (AD), quando se passou do ponto (P1, Y1) para (P2, Y2).
R: Variação
8. Identifica a situação e descreve um possível efeito ilustrado em cada uma três imagens abaixo.
R: 1- aumento- aumento do rendimento
     2- variação- a procura aumenta ou diminui
     3- diminuição- redução dos rendimentos

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

O mercado na sociedade moderna

1. Desenha o circuito económico representando os fluxos que se estabelecem nos mercados de Bens&Serviços e de Factores Produtivos, entre os agentes económicos Famílias e Empresas. 

2. Apresenta uma definição de mercado.
R: Arranjo pelo qual produtor e consumidor se encontram para interagirem para chegar ao  preço e à quantidade
3. Referindo o truque dos incentivosexplica o comportamento no mercado dos:
a) consumidores.- R: Como querem o produto, pagam mais por ele.
b) produtores.- R: Como o produto tem um valor mais elevado, os produtores produzem mais esse bem.

4. Define eficiência no contexto do mercado.
R: O produtor produzir o que melhor sabe e conseguir trocar pelo que mais gosta.
5. Indica:
a) os factores produtivos;- R: Capital trabalho, terra e iniciativa empresarial
b) os rendimentos;- R: Juro Lucro Rendas Salários
c) os agentes económicos; R: Família e empresas 
d) os mercados. R: Mercado de produtos e mercados de fatores.

6. Descreve no circuito económico, a relação entre:
a) Bens & Serviços / Despesas de Consumo ; As empresas vendem bens  e serviços para as famílias mas as famílias têm de pagar as despesas de consumo.
b) Recursos ou Factores Produtivos / Rendimentos; R: As empresas vendem os recursos ou fatores produtivos (dinheiro, terras, empresas e iniciativa empresarial) e recebem os rendimentos (salários, rendas, juro e lucro)
c) Bens & Serviços / Receitas (das Empresas); R: As empresas vendem bens e serviços mas a famílias têm de lhes dar as receitas.
d) Recursos ou Factores Produtivos / Custos (das Empresas). As empresas dão os custos e as famílias compram os recursos ou fatores produtivos.


7. Refere três situações como dificuldades de funcionamento ou falhas do mercado.
R: Uma das dificuldades é comprar-mos um produto e no dia seguinte vermos em outra loja o mesmo produto mais barato, outra falha é que beneficiam os resultados da atividade económica e o outro é que pode haver um mau funcionamento.

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

A inflação em Portugal e na UE

1. Constrói e interpreta dois gráficos semelhantes aos anteriores (*), partindo da Taxa de Inflação (Taxa de Variação do Índice de Preços no Consumidor), no PORDATA.


R: Em cada país, quando o preço aumentava e diminuía, nos outros países acontecia o mesmo


R: Em 1996 pagava-se menos do que se paga agora e, 2015, pelos mesmo produtos

2. Utilizando os dados do EUROSTATindique e interprete, para Portugal e para a AE19, em Dezembro de 2017:
a) O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor com 2015=100; 102.37
b) A taxa de inflação mensal; Num mês paga-se menos 0,2 do que no mês anterior pelos mesmo preços 
c) A taxa de inflação homóloga; 
d) A taxa de inflação média. 

II
Constrói uma apresentação para responder às Questões de Exame – 2015 e 2014, assinalando a opção correcta e mostrando por que razão as restantes são falsas. 






III
Em que ano o salário real foi maior? Preenche a tua parte do ficheiro.

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Taxa de Inflação em Portugal e na Área Euro de 2011 a 2014

1. Completa as tabelas acima utilizando 2 casas decimais e personalizando as imagens.
R:
2. Indica em que ano, (A) em Portugal e (B) na Área Euro:
a) Os preços estavam mais baixos; 
A-2010
B-2010
b) Os preços estavam mais altos; 
A- 2014
B- 2014
c) Os preços subiram mais; 
A-2011
B- 2011
d) Os preços subiram menos. 
A-2014
B- 2014
3. Explicita o conceito de taxa de inflação implícito neste exercício.
R: A subida e descida média dos preços
4. Interpreta para 2012 (A) em Portugal e (B) na Área Euro:
a) O Valor do Cabaz;
A- O valor do cabaz aumentou de 500 para 532,5 em, 2012
B- O valor do cabaz aumentou de 1000 para 1052 em 2012
b) O Índice de Preços no Consumidor com 2010=100;
A- Aumentou 2,8
B- Aumentou 2,5
c) O Índice de Preços no Consumidor em cadeia;
A- Aumentou de 100 para 106,5 de 2012
B- Aumentou de 100 para 105,3 de 2012
d) A Taxa de Inflação.
A- A taxa de inflação foi de 2,8
B- A taxa de inflação foi de 2,5

5. Supõe que o sr. Silva, residente em Portugal, recebia 800 € em 2011 e foi aumentado para 820 € em 2012. Indica o ano em que teve maior poder de compra. Justifica apresentando os cálculos efectuados.
R: Perdeu porque a taxa de inflação foi maior que a taxa salarial.

Considera o gráfico abaixo.
Fonte: Destaque do INE, 13/Jan/2013. 
01 Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas 
02 Bebidas alcoólicas e tabaco 
03 Vestuário e calçado 
04 Habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis 
05 Acessórios, equipamento doméstico e manutenção corrente da habitação
06 Saúde 
07 Transportes
08 Comunicações 
09 Lazer, recreação e cultura
10 Educação 
11 Restaurantes e hotéis
12 Bens e serviços diversos

1. Partindo do Gráfico 2 calcula as taxas de inflação em 2011 e 2012.
R: 2011- 0.57+0.16+1.02-0.03+0.03+0.01+0.06+0.03+0.48+0.09= 2.42
2012- 0.38+0.26-0.19+0.75+0.07+0.36+1.51+0.1+0.06+0.05+0.15+0.15=3.65
2. Identifica as três categorias em cada um dos anos, em que os preços:
a) Cresceram mais;
R: 2011- 07, 04, 01
2012- 04, 07, 01
b) Cresceram menos.
R: 2011: 10, 09, 05
2012: 06, 08, 10
3. Identifica a categoria em que os preços baixaram mais. 
R: 03

Assinala com X a resposta correcta às seguintes questões dos exames de 2016.


quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

A estabilidade de preços é importante porquê?

1. “Com uma moeda estável como o euro, podes também ter a certeza de que com a tua nota poderás comprar sempre uma quantidade idêntica de bens e serviços. Contudo, se o teu dinheiro perdesse valor de forma considerável, então tu deixarias de ter confiança nele. Uma moeda tem valor porque as pessoas confiam nela”. (p. 2)
1.1. Destaca do parágrafo acima uma expressão que enfatize a importância da função de reserva de valor da moeda, num contexto de estabilidade de preços.
R: "Uma moeda tem valor porque as pessoas confiam nela"
1.2. O Euro é moeda fiduciária. Justifica.
R: É uma moeda fiduciária porque as pessoas confiam, se quisermos trocar a moeda por uma quantia de objeto as pessoas vão aceitar porque sabem que mais tarde vão puder voltar a trocá-la por outros objetos.
2. “A moeda simplifica as nossas vidas de três maneiras.” (p. 3)
2.1. Explicita as três funções da moeda.
R: Meio de troca (sem a moeda, andaríamos por ai à procura de alguém para fazer troca dos itens que eu quisesse e que a pessoa também quisesse), unidade de conta (com o Euro, podemos medir o valor de cada item) e reserva de valor (é segura, portanto ao armazenarmos sabem que o Euro nunca perderá o seu valor).
3. “Os índices de preços no consumidor – utilizados para verificar a estabilidade dos preços – são compilados uma vez por mês recorrendo ao que se designa por “um cabaz de compras”. Este cabaz contém, uma ampla variedade de produtos habitualmente consumidos por uma família representativa. O preço total do “cabaz de compras”, como uma medida do nível geral de preços, é depois verificado periodicamente para ver quanto é que os preços estão a subir”. (p. 4) 
3.1. Explicita o conceito de família representativa.
R: A família representativa, é a média do produtos que o povo consome, ou seja, as pessoas que fazem o cabaz baseiam-se no que a família representativa deseja.
3.2. Explicita o conceito de cabaz de compras.
R: O cabaz é o nível geral de preços que é depois verificado periodicamente para ver quanto é que os preços estão a subir, ou a descer.
3.3. Indica como se calculam os índices de preços no consumidor.
R: Valor do cabaz do ano/valor do cabaz de 2011*100
4. Definição: A inflação é a subida generalizada e sustentada dos preços. 
  • Se apenas subissem os preços de alguns bens, os consumidores poderiam adaptar-se a novos padrões de consumo, evitando os efeitos nefastos da inflação. 
  • Se os preços não subissem durante um período considerável de tempo, mas apenas num determinado momento, dir-se-ia que se verificou apenas uma alteração do nível geral de preços, passando para um patamar diferente no referido momento. Os preços teriam subido, mas o fenómeno não se diz inflação se não tiver continuidade.
4.1. Explicita na definição de inflação, o significado das seguintes expressões: 
a) Generalizada.- Se um produto aumentar, as pessoas têm de mudar os seus padrões de vida, mas se aumentarem todos os produtos, as pessoas não mudam os seus padrões de vida.
b) Sustentada.- Se os preços descem, ou sobem, não podem só subir hoje, e não voltar a subir, o aumento tem de ser sustentável.

4.2. Refere as seguintes causas da inflação: (p. 5)
a) Por excesso da procura- quando há excesso de procura, os produtores aumentam da inflação, pois sabem que podem lucrar mais, já que muitas pessoas estão à procura desses produtos.

b) Por aumento dos custos de produção- quando o aumento dos custos de produção aumentam, a inflação aumenta também devido ao aumento dos preços das matérias primas associados à atividade produtiva


4.3. “A deflação pode ser definida como sendo o oposto da inflação, isto é, (...)”. (p. 6) Completa a definição de deflação fazendo copy/paste.
R: Como uma situação em que o nível geral de preços desce ao longo do tempo. Pode ser o resultado de uma procura de bens e serviços reduzida, que força as empresas a venderem os seus produtos a preços mais baixos.
5. “Os preços são considerados estáveis se, _________, não subirem (como em períodos de inflação) nem descerem (como em períodos de deflação) ao longo do tempo”. (p. 6)
Completa. 
R: em média

6. A estabilidade de preços promove o crescimento económico e o emprego porque os consumidores e as empresas podem tomar decisões mais informadas se os preços forem comparáveis. (p. 7/8)
6.1. Refere-te ao interesse da estabilidade dos preços na perspectiva dos consumidores. 
R: A estabilidade na prespetiva dos consumidores é boa, porque assim não precisam de começar a pagar mais pelos mesmo itens, mas também pode ser mau porque não podem pagar menos pelos itens. Mas a estabilidade dos preços é boa pois os consumidores já podem programar o que podem comprar e não precisam de alterar, pois os preços não mudam.
6.2. Refere-te ao interesse da estabilidade dos preços na perspectiva das empresas. 
R: A estabilidade dos preços na prespetiva das empresas pode ser boa e má, boa porque assim sabem o que recebem e não começam a receber menos, e é má porque assim não conseguem aumentar os lucros das vendas.
7. “Quando os preços são estáveis, os detentores de poupanças e os credores estão dispostos a aceitar taxas de juro mais ______, dado que esperam que o valor do seu dinheiro permaneça igual por períodos mais longos. Caso contrário, iriam querer uma garantia contra a incerteza quanto ao valor futuro do seu dinheiro e passariam a exigir taxas de juro mais elevadas para os seus depósitos e empréstimos”. (p. 8)
Completa.
R: baixas
8. “Como resultado, os devedores beneficiam de taxas de juro mais ______. Isso significa que os custos de endividamento das empresas que desejam comprar máquinas mais modernas e das pessoas que pretendem um empréstimo para comprarem, por exemplo, um carro ou uma casa são mais baixos. Encorajar as empresas a investirem deste modo contribui para um aumento da sua competitividade e cria postos de trabalho adicionais. Esta é outra razão por que preços estáveis são um contributo tão importante para o crescimento económico e o emprego”. (p. 9)
Completa.
R: baixas

9. “Regra geral, os grupos mais desfavorecidos da sociedade são os que frequentemente mais sofrem com a inflação, dado que as possibilidades que têm para se protegerem são limitadas”. (p. 9) 
Refere-te aos aspectos sociais da estabilidade dos preços comparando aqueles que usufruem de rendimentos fixos (salários e pensões, por exemplo) com os que detêm rendimentos variáveis (os lucros variam com as vendas). 
R: As pessoas mais desfavorecidas da sociedade, recebem um salário fixo, então sofrem com o aumento do rendimento médio dos produtos, agora os mais favorecidos, que têm um salário variável, se os produtos que eles vendem forem superiores aos produtos que eles comprarem, ficam no lucro, agora se o valor da venda for igual ao valor de compra, não perdem nem ganham, agora se o valor de compra for mais elevado do que o valor de venda, ficam no prejuízo, ou seja, os mais favorecidos não perdem com a inflação.

10. “A política monetária do BCE visa manter a taxa de inflação anual na área do euro num nível muito baixo, ou seja, num nível inferior mas próximo de 2 % a médio prazo”. (p. 10)
10.1 Explica porque é desejável uma taxa de inflação de 2% comparativamente a 0%.
R: É mais desejável, porque com a taxa de inflação nos 0% ficam mais próximos de ter uma taxa de preços negativa, então se a taxa de inflação for de 2% têm menos possibilidades de ficar com uma taxa de preços negativo.
10.2 Explica porque seria perigoso para a economia a descida dos preços. 
R: Seria perigoso porque ficariam no prejuízo, ou seja, a economia descia.
10.3 Indica os países que pertencem à Área do Euro desde 2007.
R: Chipre, Eslováquia, Estónia, Eslovénia, Letónia, Lituânia, Malta,
11. Procure na web uma definição, e faça link para o site onde encontrar os seguintes conceitos:
11.1 Desinflação- Desaceleração do crescimento dos preços.
11.2 Estagflação- É uma mistura de estagnação económica com preços altos/inflação. A economia abranda ou encolhe mesmo, mas os preços teimam em acelerar devido, por exemplo, à escassez localizada de um produto essencial que tem implicações noutros bens, como é o caso do petróleo.

A inflação (1) deprecia o valor da moeda e (2) deteriora o poder de compra. Preenchendo este ficheiro, estude o efeito das conjunturas de preços estáveis e das conjunturas inflacionistas. Comenta o preço dos bens e o poder de compra da moeda a 10 anos.

 

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Cálculo da Taxa de Inflação

1. Explicita os seguintes conceitos associados à taxa de inflação:
a) IPC-  conjunto de bens e serviços de modo que seja representativo do consumo da maioria da população;
b) Taxa de variação mensal  Variação dos preços por mês;
c) Taxa de variação homóloga  Variação dos preços de um mês do ano para o mesmo mês do ano anterior;
d) Taxa de variação média  Média percentual dos preços dos 12 meses;

2. Indica - consultando o site do INE - os valores da taxa de variação homóloga, em Dezembro de 2017, no Continente, para as seguintes rubricas:
a) Total excepto habitação- Continente- 1,48%
b) Total excepto produtos alimentares não transformados e produtos energéticos-Continente- 1,16%
c) Total excepto produtos alimentares não transformados-Continente-1,35%
d) Total excepto produtos energéticos-Continente- 1,29%
e) Produtos alimentares não transformados- Continente-2,26%
f) Produtos energéticos -Continente- 3,18%

3. Indica em que grupo do ponto anterior:
a) Os preços subiram mais- Produtos energéticos
b) Os preços subiram menos Total excepto produtos alimentares não transformados e produtos energéticos
c) Os preços desceram mais- Não há nenhum valor negativo
d) Os preços desceram menos- Não há nenhum valor negativo

4. O Índice de Preços pode calcular-se com base constante, isto é, sempre com o mesmo ano base (2011=100 significa que 2011 é o ano base), ou com base móvel. O IPC em cadeia calcula-se tomando como base de cálculo em cada ano t, o ano anterior, t-1.
4.1. Completa a tabela no ficheiro de ajuda com Taxa de Inflação de 2003 a 2017.

4.2. Indica em que ano:
a) Os preços estavam mais baixos- 2003
b) Os preços estavam mais altos- 2017
c) Os preços subiram mais- 2011
d) Os preços subiram menos- 2013
e) Os preços desceram mais- 2009
f) Os preços desceram menos- 2014

4.3. Explicita o conceito de taxa de inflação implícito neste exercício.
R: Taxa de crescimento médio dos preços em média.
4.4. Interpreta para 2017:
a) O Valor do Cabaz- EM 2017 pagavas se 1580€ enquanto que em 2011 se pagava 1500€ para ter os mesmos bens;
b) O Índice de Preços no Consumidor com 2011=100- EM 2017 o valor do índice de preços aumentou para 105,388, enquanto que em 2011 era 100
c) O Índice de Preços no Consumidor em cadeia- Em 2017, o índice de preços do consumidor, diminuiu, em relação a 2011, de 103,7 para 101,4;
d) A Taxa de Inflação- O valor de 2017, em relação a 2001, diminuiu de 3,7 para 1,4

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Preço de um bem - noção e componentes

1. Explica o paradoxo da água e do diamante utilizando os conceitos de valor de uso e valor de troca.
R: O diamante tem um valor de uso menor que da água já que a água é essencial à vida humana, para a nossa sobrevivência, agora em relação ao valor de troca, o diamante tem um valor de troca mais elevado, por exemplo, se formos fazer uma comparação entre o valor de um diamante com o valor de uma garrafa de água, o diamante vale muito mais por isso podemos vender/trocar por mais produtos ou por um valor mais elevado que o valor da garrafa de água.
2. Explica o paradoxo da água e do diamante utilizando os conceitos de utilidade total e utilidade marginal.
R: A utilidade marginal do primeiro copo de água é quase infinita, somos quase obrigados a gastar o nosso último euro nesse copo, pois necessitamos dele, agora a utilidade marginal do último copo é muito reduzida, ou seja, não somos obrigados a gastar o nosso último euro nesse copo pois não necessitamos. Já em relação ao diamante, não era tão necessário o gasto do primeiro diamante.
3. Refere três factores que influenciam a formação dos preços.
R: Custos fixos, custos variáveis e custos directos.
4. Comenta a importância da estrutura do mercado na formação dos preços, referindo dois exemplos de mercado concorrencial e dois exemplos de monopólio.
R: